EEFFTO_UFMG.png

Histórico

Implementado em março de 2014, o curso de formação em Políticas Públicas de Esporte e Lazer iniciou as primeiras turmas da modalidade à distância em outubro desse mesmo ano para os atores dos Programas Esporte e Lazer da Cidade - PELC e Vida Saudável – VS, gestores públicos e pessoas interessadas com a temática do esporte e lazer. Com a perspectiva de atender às necessidades dos agentes sociais e gestores de esporte e lazer para elaboração, implementação, monitoramento e avaliação das ações pautadas no princípio da gestão participativa, os cursos ofertados tiveram por objetivo conceber e desenvolver uma ferramenta efetiva para a Educação Permanente em esporte e lazer, em nível de extensão, para formação em larga escala. A metodologia do curso foi pensada inicialmente em quatro módulos obrigatórios (Gestão participativa do PELC; Princípios do PELC; Diagnóstico da realidade e Avaliação) e quatro módulos optativos (Elaboração de Projetos; Financiamento do esporte e do lazer; Esporte Recreativo de lazer; Esporte, lazer e saúde). A certificação do aluno no curso estava condicionada ao cumprimento dos quatro módulos obrigatórios e, no mínimo, dois módulos optativos, totalizando 180 horas. Com o passar do tempo foi avaliado que esta estrutura de funcionamento desconsiderava o interesse do aluno na escolha da temática do módulo e, também, dificultava sua permanência devido ao longo período de desenvolvimento do curso. Sendo assim, a partir de agosto de 2015, os módulos foram ofertados de forma independente, com quarenta e cinco dias de duração e certificação de 30 horas por curso finalizado, possibilitando uma circulação maior de alunos. Em setembro de 2015, após um encontro entre o Governo Federal e a UFMG realizado em Brasília, foram apontadas a necessidade de novos cursos na EaD, em atendimento às demandas e desafios enfrentados pelos agentes para o desenvolvimento das ações dos programas. Neste sentido, ficou acordado a criação de cursos com carga horária de 15 horas e temáticas direcionadas ao público beneficiário do PELC, abordando: Povos indígenas; Povos e comunidades tradicionais; Pessoas com deficiência e; Intergeracionalidade no PELC, Idosos, adultos, juventude e infância. Além desses, a criação de cursos com temáticas voltadas ao atendimento das demandas dos programas como: gênero; memória; lutas; futebol e; Dança.